Em busca de solução para evitar a saída da Aurora de Xaxim

Cooperativa e administradores da massa falida da Chapecó Cia não chegaram a um acordo para a compra da estrutura. Com isso, Chapecó Cia pediu a rescisão do contrato de arrendamento

- Publicidade -
 

Em um comunicado divulgado na quarta-feira (18), a Cooperativa Central Aurora anunciou que foi rescindido o contrato de arrendamento entre a Aurora e a Chapecó Cia. Industrial de Alimentos de Xaxim. Com isso, a cooperativa tem 10 meses para encerrar as atividades na cidade.


A notícia pegou de surpresa os moradores de Xaxim, que se preocupam com a saída da empresa, responsável por aproximadamente dois mil empregos diretos e mais milhares de indiretos.


Em entrevista à rádio Vanguarda de Xaxim, na manhã desta quinta-feira (18), o prefeito Lírio Dagort falou sobre a situação.

Ele comentou que a prefeitura acompanha a situação há meses e que o valor pedido pelos administradores da massa falida, de cerca de R$ 300 milhões, dificultou as negociações. “Acreditamos que vai ter empresa que vai comprar, mas não neste valor. Acreditamos que um valor entre R$ 150 e 170 milhões, mais razoável, teriam empresas em condição de comprar”, disse durante a entrevista.


Com o não sucesso da negociação e após a compra da unidade em Xaxim, Dagort apontou que a Aurora perdeu o interesse na estrutura da antiga Diplomata. “A Aurora informou a intenção de transferir os funcionários para unidade de Guatambu. Vai acontecer o movimento inverso do que ocorria há anos, quando dezenas de ônibus chegavam a Xaxim com trabalhadores. Agora, eles sairão da cidade para trabalhar em Guatambu. Acredito que em 10 meses a obra lá já esteja pronta”, disse.

 

Negociações para permanência


Conforme a Prefeitura da cidade, o prefeito, Lírio Dagort e o vice, Adriano Bortolanza, estão em contato com a direção da Aurora para conversar e buscar viabilizar a permanência. “Estamos realizando diariamente reuniões, contatos com a presidência da Cooperativa e também com a massa falida da Chapecó para tentarmos encurtar essa negociação e garantir a permanência da Aurora em nossa cidade, pois o impacto financeiro para o município será muito grande caso a saída ocorra de fato"  expôs o Prefeito.


O Vice-prefeito falou que se reuniria, nesta quinta-feira (18), com os advogados e representantes da massa falida da Chapecó “para tentarmos reverter essa situação", disse.

 

Câmara de vereadores

 

Uma comissão foi criada na Câmara de Vereadores da cidade, que vai agendar uma reunião com a empresa de Chapecó para entender os motivos do fechamento e auxiliar nas tratativas buscando a permanência da empresa na cidade.


O vereador e presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xaxim, Lajeado Grande e Marema, Ledinho Curtarelli, disse ao Diário do Iguaçu que são cerca de 300 criadores de aves associados à cooperativa, e que a promessa da Aurora é manter esses associados.


A principal preocupação, segundo ele, é a questão dos empregos indiretos gerados pela indústria e a movimentação econômica que ela promove na cidade. “Falamos com o doutor Alexandre Britto (advogado e síndico da massa falida), que disse que na próxima semana poderá vir para Xaxim para uma reunião com os vereadores”, disse.


Apesar da notícia da manutenção dos avicultores e redirecionamento dos trabalhadores para outras unidades, o impacto da saída é alto. “Não tenho os números, mas com certeza é um prejuízo grande para a cidade. Mesmo se vier outro frigorífico, vai demorar até ele engrenar. O ideal seria a Aurora permanecer na cidade”, comenta.

 

10 meses para saída


Na nota divulgada na quinta-feira (18), a Aurora detalhou que a tramitação para compra da estrutura. Lembrou que a empresa arrendou a massa falida em 2012, e que durante esses anos, negociou a compra do complexo industrial.


“Considerando que a base sempre foi o valor da avaliação judicial efetivada nos autos do processo de falência, e que este, no entender da Aurora, se apresenta como excessivamente elevado e em descompasso com a realidade de mercado para os bens que integram o complexo industrial, apesar de todos os esforços e do manifesto interesse das partes envolvidas, que as negociações restaram infrutíferas”, apontou no comunicado.


No dia 17 de setembro, a Aurora foi notificada do pedido da Massa Falida da Chapecó Cia Industrial de Alimentos, para rescindir o contrato de arrendamento mantido. O prazo para o encerramento das atividades é de 10 meses, neste período as atividades serão mantidas normalmente.


“Haverá integral aproveitamento da produção de campo que abastece o complexo industrial, nos termos contratados, a qual será direcionada para outras unidades industriais de propriedade da mesma, assim como, é de interesse da Aurora o aproveitamento da mão de obra dos empregados, também em outras unidades”, ressaltou, agradecendo a comunidade de Xaxim e poderes públicos “Reforçando seu compromisso, mesmo no período de cumprimento do aviso prévio, de atuar com responsabilidade coletiva e respeito aos seus valores, primando pelo seu bom nome e de suas marcas”, finalizou. 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Preço dos produtos básicos cresce em Chapecó
Chapecó está entre as melhores cidades para se fazer negócios
CDL sugere horários de atendimento para as vendas de Natal em Chapecó
Faturamento de exportações de carne suína de SC em 2019 supera todo ano de 2018
Boviexpo encerra neste sábado em Chapecó
Apostas lotéricas ficam mais caras a partir de domingo
Entenda as diferenças entre temporários e terceirizados
Preço pago ao produtor de trigo aumenta em Santa Catarina
Minerais orgânicos na dieta do gado de leite favorecem produtividade