Empregadores e trabalhadores fecham novos valores para o piso regional

As novas faixas do mínimo catarinense variam entre R$ 1.215,00 e R$ 1.391, e foram acordadas durante reunião, na FIESC, em Florianópolis, nesta quinta-feira (30)

- Publicidade -
 

As federações empresariais, as centrais sindicais e federações de trabalhadores de Santa Catarina chegaram a um consenso para atualizar o mínimo regional para 2020.

Os pisos acordados para as quatro faixas foram de R$ 1.215,00, R$ 1.260,00, R$ 1.331,00 e R$ 1.391,00. O índice médio de reajuste foi de 4,97%. Os novos valores foram acordados durante reunião na Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), nesta quinta-feira (30), em Florianópolis. 

O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, destacou que, mais uma vez, as representações empresarial e laboral chegaram a um resultado positivo.

“É a demonstração do que se exercita em Santa Catarina, uma relação harmoniosa entre os representantes dos trabalhadores e do setor produtivo. Então, chegamos a um resultado de consenso e o próximo passo é levar ao governador para que envie à Assembleia Legislativa para aprovação. Foi um acordo construído a várias mãos e, pelo décimo ano, chegamos a um acordo favorável para a economia catarinense”, afirmou.

>> Últimas notícias

“O acordo foi o possível dentro das postulações e demandas de cada parte”, disse o presidente da Câmara de Relações Trabalhistas da Fiesc, Durval Marcatto Júnior. “Santa Catarina é o único estado que tem o mínimo regional negociado nesses termos e a celebração do acordo demonstra o clima de diálogo e respeito que existe e engrandece a economia do estado”, completou.  

“O acordo que estamos fechando hoje é um dos processos mais importantes que têm para o estado de Santa Catarina, para o movimento sindical dos trabalhadores e para os empregadores. É um processo que serve como parâmetro para muitas negociações coletivas de trabalho. Esperamos que esse processo continue. Acredito na negociação coletiva”, declarou o diretor da Federação dos Trabalhadores no Comércio (Fecesc), Ivo Castanheira. 

Entre os representados na negociação estiveram pelo lado empregador: Federação das Indústrias de SC (Fiesc); Federação da Agricultura (Faesc); Federação do Comércio (Fecomércio); Federação das Empresas de Transportes de Cargas (Fetrancesc) e Federação dos Hospitais (Fehoesc). Entre os representantes dos trabalhadores estiveram: Fecesc, Fetiesc, Fetiaesc, Força Sindical, Nova Central dos Trabalhadores, UGT, CUT, Fetaesc e Dieese. 

Veja abaixo as faixas que compõem o mínimo regional:    
    
                                Piso Atual         Piso Proposto
Primeira Faixa R$ 1.158             R$ 1.215,00
Segunda Faixa R$ 1.201             R$ 1.260,00
Terceira Faixa R$ 1.267                 R$ 1.331,00
Quarta Faixa         R$ 1.325             R$ 1.391,00
 

Trabalhadores que integram as quatro faixas do mínimo regional catarinense

Primeira faixa
a) na agricultura e na pecuária.
b) nas indústrias extrativas e beneficiamento.
c) em empresas de pesca e aquicultura.
d) empregados domésticos.
e) em turismo e hospitalidade; (Redação da alínea revogada pela LPC 551/11).
f) nas indústrias da construção civil.
g) nas indústrias de instrumentos musicais e brinquedos.
h) em estabelecimentos hípicos.
i) empregados motociclistas, motoboys, e do transporte em geral, excetuando-se os motoristas.

Segunda faixa: 
a) nas indústrias do vestuário e calçado.
b) nas indústrias de fiação e tecelagem.
c) nas indústrias de artefatos de couro.
d) nas indústrias do papel, papelão e cortiça.
e) em empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas.
f) empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas.
g) empregados em empresas de comunicações e telemarketing.
h) nas indústrias do mobiliário.

Terceira faixa:
a) nas indústrias químicas e farmacêuticas.
b) nas indústrias cinematográficas.
c) nas indústrias da alimentação.
d) empregados no comércio em geral.
e) empregados de agentes autônomos do comércio.

Quarta faixa:
a) nas indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico.
b) nas indústrias gráficas.
c) nas indústrias de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana.
d) nas indústrias de artefatos de borracha.
e) em empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito.
f) em edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, em turismo e hospitalidade.
g) nas indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas.
h) auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino).
i) empregados em estabelecimento de cultura.
j) empregados em processamento de dados.
k) empregados motoristas do transporte em geral.
I) empregados em estabelecimentos de serviços de saúde.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Saque FGTS 100% digital é lançado pela Caixa
SC fecha ano de 2019 com menor taxa de desemprego do país
Faturamento com exportações de carne suína aumenta 78,9% em janeiro
259 vagas de emprego estão disponíveis em Chapecó
Microempreendedorismo:Artesanato que mudou a vida de Serenite
Pesquisa mostra endividamento de moradores no início do ano em Chapecó
Como economizar combustível ao dirigir
190 vagas disponíveis no Balcão de Empregos nesta semana em Chapecó
Pequenos negócios pretendem contratar e realizar investimentos em 2020
Empregadores e trabalhadores fecham novos valores para o piso regional