Empresários protestam por obra da BR-282 não estar na Proposta do Orçamento Geral da União para 2020

Em nota divulgada na tarde desta terça-feira (10), Acic reclamou sobre a paralisação das obras na rodovia, responsável por escoar a produção do agronegócio do Oeste

- Publicidade -
 

A Associação Comercial e Industrial (ACIC) de Chapecó publicou uma nota manifestando inconformismo com a falta de repasse para as obras da BR-282, trecho entre Chapecó e São Miguel do Oeste, que pode provocar a paralisação dos trabalhos da rodovia de revitalização e melhorias no trecho.


Na nota, a ACIC destaca que “a suspensão dos pagamentos para a empreiteira provocou a paralisação das obras”, disse. Em contato com o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT), o Diário do Iguaçu foi informado que as obras não estão paralisadas e os trabalhos seguem após o repasse de R$ 8 milhões feitos em junho.


No entanto, não há informações sobre o repasse de novos valores, nem mesmo das emendas parlamentares (R$ 35 milhões), aprovadas ainda em 2018. E caso não haja a destinação de mais recursos, a obra pode parar mais uma vez. A expectativa do Dnit é que os R$ 8 milhões já destinados acabem em novembro.

 

BR-282 fora da proposta de Orçamento Geral da União


“O que é mais revoltante e inaceitável, porém, é o fato da Proposta do Orçamento Geral da União para 2020 não prever e não contemplar a BR-282 com verbas, pois ela sequer é citada no rol de investimentos federais em infraestrutura programados para o próximo exercício”, destacou a Acic em nota.


No documento, a entidade lembrou que a rodovia foi construída entre 1960 e 1975 e que é essencial para a integração territorial estadual e para o escoamento da produção do agronegócio do Oeste de SC. “Por ela transitam milhões de dólares em produtos exportáveis que asseguram as divisas das quais o País precisa para sustentar seu desenvolvimento”.


A nota assinada pelo presidente da Acic, Cidnei Barozzi, ressalta ainda que o processo tanto de conservação quanto de restauração da rodovia foi prejudicado nas últimas décadas, por razões orçamentárias e financeiras. “Enquanto a  deterioração progressiva de toda malha atinge níveis que requerem a atuação em caráter emergencial, objetivando dotá-la de condições mínimas necessárias à segurança dos usuários e fluidez de tráfego”, enfatiza.


O documento ainda traz uma crítica ao que a Acic chamou de ‘cochilo’ da bancada catarinense no Congresso Nacional e apela para que os senadores e deputados federais atuem diretamente nas discussões da proposta do Orçamento Geral da União Federal para 2020. “Pois a retomada e a conclusão das obras da BR-282 dependem do pagamento de 45 milhões de reais neste ano e da dotação orçamentária de 147,8 milhões de reais em 2020”.

 

Apelo ao Estado


A entidade também faz um pedido ao Governo de SC, Assembleia Legislativa e setores organizados na tentativa de sensibilizar o governo federal e congresso para não deixar isso acontecer. “O Oeste continua esquecido! Excluir do Orçamento Federal dotação para a BR-282 é mais que uma abominável injustiça, é uma traição ao povo do grande oeste catarinense, uma das mais produtivas regiões brasileiras, geradora de riquezas para o Brasil e do mundo e uma das maiores contribuintes para os cofres da União, do Estado e dos Municípios”, finaliza a ACIC.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Fogo destrói duas casas em Concórdia
Acidente com 3 carros deixa ao menos 4 feridos na Getúlio Vargas em Chapecó
Primavera começa com temperatura baixa em Santa Catarina
Motorista sai de pista e capota o veículo em Concórdia
Idoso fica ferido após carreta tombar no Centro de Guaraciaba
Carro desgovernado atinge cinco carros estacionados no Centro de São Lourenço
Madeireira pega fogo em Lageado Grande
9 cursos para quem gosta de animais
Moeda Verde promove ação no Dia Mundial da Limpeza
5ª Semana Farroupilha do shopping de Chapecó tem diversas atividades