Endividamento das famílias chapecoenses cai em outubro

Pesquisa feita pelo Sicom e Fecomércio mostra pequena redução no comparativo entre setembro e outubro. Em comparação com o mesmo período de 2018, houve aumento

- Publicidade -
 

O número de famílias endividadas no mês de outubro teve uma leve redução em comparação com os dados do mês de setembro, é o que aponta a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência dos Consumidores (Peic).


O levantamento é feito pelo Sindicato do Comércio (Sicom) e a Federação do Comércio de Santa Catarina (Fecomércio), e registrou que o índice de famílias endividadas baixou de 51,9%, registrados em setembro, para 51,3% averiguados no mês de outubro. Já em comparação com o percentual levantado em Chapecó em outubro de 2018, o índice aumentou, já que no décimo mês de 2018, o percentual era de 39,5%.

 

Perfil das dívidas

 

Conforme o levantamento, possuem contas em atraso 19,4% das famílias e 7,5% disseram não ter condições de fazer o pagamento. A Divisão de Pesquisa e Estatística do Sicom indica, quanto ao tempo de pagamento das dívidas em atraso, que 45,2% levarão acima de 90 dias, 44% de 30 a 90 dias e 10,8% até 30 dias.


Quanto às condições de pagamento das contas em atraso, entre as famílias endividadas, 46,2% especificaram pagar totalmente e 38,7% não terão condições de pagar.

 

Carnês e cartão de crédito

 

Quanto ao tipo de dívida existente no mês de outubro, das famílias chapecoenses entrevistadas 59,6% afirmaram que têm compromissos com carnês. Outras, na ordem de 46,7%, indicaram que estão comprometidas com o uso do cartão de crédito, enquanto 20,3% estão comprometidas com o financiamento de carro e 20,2% com o crédito pessoal. Por serem dívidas de longo prazo, 50,9% indicaram que levarão mais de um ano para quitá-las, enquanto outros 15,8% irão levar até três meses.


Renda comprometida


Sobre a parcela de renda comprometida, 67% dos entrevistados indicaram que vai de 10% a 50% e 2% disseram que é superior a 50% dos rendimentos

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Óleo de soja e tomate são itens com maior alta entre os produtos básicos em Chapecó
Sebrae entrega estudo sobre o grau de desenvolvimento de Chapecó
Municípios receberão mais R$ 15 milhões para a Política de Assistência Social
Gasolina e Diesel têm 3º aumento seguido em Chapecó
Comércio catarinense cresce 3,5% em julho, diz IBGE
Saiba quais são as mudanças que agilizam a abertura de Meis
Evento discute conexão entre ferramentas digitais e experiência do cliente
Investimentos viabilizados pelo BRDE no 1º semestre atingem cifra bilionária
Imposto de importação para o arroz ficará zerado até o fim do ano
Preço dos produtos da cesta básica cada vez mais pesados ao consumidor