Governo anuncia quem pode voltar a trabalhar a partir desta segunda-feira (6)

Pronunciamento foi feito no fim da tarde de domingo (5). Comércio deverá seguir fechado

- Publicidade -
 

Com medidas de isolamento social há 20 dias para conter o avanço do coronavírus no Estado, Santa Catarina inicia nesta segunda-feira (6), uma nova etapa de convívio seguro com a doença.  A atuação de profissionais autônomos, passa a ser flexibilizada de acordo com anúncio feito pelo governador Carlos Moisés em um pronunciamento no fim da tarde de domingo (5).

As regras para a permissão dos trabalhos foram estabelecidas por meio de uma portaria assinada pelo secretário de Estado da Saúde, Helton Zeferino. O documento foi publicado no Diário Oficial do Estado.

 “Essa atitude foi tomada de uma forma muito responsável. O Núcleo Econômico do Governo escutou as entidades empresariais para essa liberação, e o regramento foi realizado pela Secretaria de Estado da Saúde, obedecendo a critérios técnicos”, afirmou o governador.

:::. Acompanhe as últimas notícias de Chapecó e região

Segundo o governador, os autônomos precisarão respeitar as regras de distanciamento social, com atendimentos individualizados, sem aglomeração de pessoas nas salas de espera, com a correta higienização dos ambientes e o uso de EPIs. Em caso de teste positivo para a Covid-19 ou da apresentação de sintomas da doença, o profissional não poderá realizar atendimento, devendo permanecer em isolamento.

Quem poderá trabalhar?

A medida inclui profissionais autônomos/liberais da saúde, tais como médicos, veterinários, fisioterapeutas, biomédicos, psicólogos, enfermeiros, fonoaudiólogos, farmacêuticos e nutricionistas.

Os profissionais de interesse da saúde, tais como terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, educadores físicos, cabeleireiros, barbeiros, pedicures, manicures, depiladores, massagistas e podólogos, também estão liberados.

A flexibilização de trabalho inclui ainda profissionais autônomos de áreas gerais, entre eles advogados, contadores, administradores, jardineiros, cozinheiros, limpadores de piscina, faxineiros, empregados domésticos, encanadores, entre outros.

Desta forma, ficam autorizados a funcionar estabelecimentos como clínicas, consultórios, serviços de diagnóstico por imagens, serviços de óticas, laboratórios óticos, serviços de assistência e prótese odontológica e escritórios em geral.

Quem não poderá trabalhar?

A proibição de funcionamento segue vigente para shoppings e o comércio em geral, conforme o decreto 535. Carlos Moisés acrescentou que a orientação do Governo do Estado permanece para que os cidadãos fiquem em casa sempre que possível, realizando apenas os deslocamentos estritamente necessários.

Casos de coronavírus em SC

Ainda na tarde deste domingo (5), o governador Carlos Moisés anunciou que Santa Catarina já está com 379 casos confirmados no estado. O número de óbitos continua em 10, conforme registrado pela Secretaria da Saúde neste sábado (4).

Duas das mais recentes vítimas da covid-19 são do Sul do estado: um homem de 32 anos, morador de São Ludgero, e uma idosa de 71 anos, de Balneário Gaivota. Eles estavam internados em Içara e Criciúma, respectivamente. Também morreram em decorrência do vírus uma mulher de 54 anos, de Itajaí, uma idosa de 81, de Florianópolis, e outra idosa de 90 anos, em Pedras Grandes, no Sul.

O homem de 32 anos é a pessoa mais jovem a perder a vida em razão da doença em SC. Ele não apresentava comorbidades. As outras três vítimas faziam parte de grupos de risco.

  

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Operação contra fraude na compra de respiradores prende quatro pessoas
Argentina prorroga quarentena obrigatória até 28 de junho
6.720 catarinenses estão recuperados do coronavírus
Hospital de Xanxerê receberá mais 10 respiradores entregues pela WEG
Pesquisa sobre avanço do coronavírus em Chapecó vai até sábado (6)
Chapecó chega a 1.129 casos de coronavírus
Ansiedade: como lidar com ela no cenário em que vivemos?
Santa Catarina confirma 10.532 casos e 156 mortes por covid-19
Hospital de Xanxerê está com 90% da UTI ocupada
Frigoríficos começam a se adequar à proteção de indígenas no Oeste