Governo federal garante R$10 milhões para início das obras da Macroadutora do Rio Chapecozinho

Obra precisa de R$ 200 milhões para ser concluída e viabilizar o abastecimento de água de Xanxerê até Chapecó

- Publicidade -
 

A obra da macroadutora do Rio Chapecozinho, que promete resolver o problema do abastecimento de água em Chapecó, Cordilheira Alta, Xaxim e Xanxerê pelos próximos 50 anos, está mais próxima de ser iniciada. O projeto é de 2012 e emperrou por problemas administrativos e em função da crise financeira.

Em audiência  em Brasília, na sexta-feira (12), à vice-governadora, Daniela Reinehr (PSL), e à diretora-presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, tiveram audiência com integrantes do Ministério da Economia e Ministério do Desenvolvimento Regional para tratar sobre o convênio.

O Sistema Integrado de Abastecimento do Rio Chapecozinho, estimado em aproximadamente R$ 200 milhões, prevê a construção de uma Estação de Tratamento de Água com capacidade de 1.252 litros por segundo, dois reservatórios com capacidade total de 9,5 milhões de litros, estações de recalque e a implantação da uma macroadutora de 57 quilômetros de extensão. O projeto garantirá o abastecimento de 255 mil moradores da região de Chapecó.

A informação é de que o convênio com a União continua vigente e o Ministério do Desenvolvimento Regional já fez empenho de R$ 10 milhões como garantia dos recursos da União.

O secretário do Ministério do Desenvolvimento garantiu à equipe catarinense que o Chapecozinho é uma das prioridades da União justamente porque já está em fase bem adiantada. A Casan já concluiu os dois processos licitatórios (de fornecimento de material e o de execução de obras civis), fez as indenizações devidas, obteve a outorga de água e as licenças ambientais necessárias.

Últimas notícias

Atrasos

Tramitando desde 2012, o Chapecozinho sofreu percalços administrativos e jurídicos que o atrasaram, entre eles as reavaliações do Tribunal de Contas da União (TCU) e os recursos protelatórios das empreiteiras que perderam as concorrências licitatórias.

“O prazo venceu em dezembro de 2018, mas viemos a Brasília nos certificar de que o projeto segue vigente e solicitar que os valores sejam mesmos destinados a Santa Catarina”, disse a vice-governadora Daniela. “O Governo do Estado permanecerá atento para viabilizar este importante projeto para o Oeste”.

Para a diretora-presidente da Casan a notícia traz otimismo. “O empenho de R$ 10 milhões e o fato de Casan ter ultrapassado todas as etapas condicionantes colocam o Chapecozinho entre as prioridades do Governo Federal, o que nos leva a acreditar que em breve poderemos iniciar a maior obra de sistema de abastecimento de água de Santa Catarina”.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

PSDB de Chapecó trabalha de olho em 2020
Mourão participa de evento em Florianópolis
Governo do Estado paga primeira parcela do 13º salário
PSC se reestrutura e cresce em Chapecó
Sicom de Chapecó recebe homenagem da Câmara Municipal
Vereadores de São Lourenço do Oeste aprovam alteração no Plano Diretor
Câmara de São Miguel do Oeste aprova projetos
Projetos dos incentivos fiscais são aprovados na Alesc
Lei permitirá a regularização de imóveis irregulares e clandestinos em Chapecó
Ex-prefeito de Abelardo Luz tem bens bloqueados