Governo federal garante R$10 milhões para início das obras da Macroadutora do Rio Chapecozinho

Obra precisa de R$ 200 milhões para ser concluída e viabilizar o abastecimento de água de Xanxerê até Chapecó

A obra da macroadutora do Rio Chapecozinho, que promete resolver o problema do abastecimento de água em Chapecó, Cordilheira Alta, Xaxim e Xanxerê pelos próximos 50 anos, está mais próxima de ser iniciada. O projeto é de 2012 e emperrou por problemas administrativos e em função da crise financeira.

Em audiência  em Brasília, na sexta-feira (12), à vice-governadora, Daniela Reinehr (PSL), e à diretora-presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, tiveram audiência com integrantes do Ministério da Economia e Ministério do Desenvolvimento Regional para tratar sobre o convênio.

O Sistema Integrado de Abastecimento do Rio Chapecozinho, estimado em aproximadamente R$ 200 milhões, prevê a construção de uma Estação de Tratamento de Água com capacidade de 1.252 litros por segundo, dois reservatórios com capacidade total de 9,5 milhões de litros, estações de recalque e a implantação da uma macroadutora de 57 quilômetros de extensão. O projeto garantirá o abastecimento de 255 mil moradores da região de Chapecó.

A informação é de que o convênio com a União continua vigente e o Ministério do Desenvolvimento Regional já fez empenho de R$ 10 milhões como garantia dos recursos da União.

O secretário do Ministério do Desenvolvimento garantiu à equipe catarinense que o Chapecozinho é uma das prioridades da União justamente porque já está em fase bem adiantada. A Casan já concluiu os dois processos licitatórios (de fornecimento de material e o de execução de obras civis), fez as indenizações devidas, obteve a outorga de água e as licenças ambientais necessárias.

Últimas notícias

Atrasos

Tramitando desde 2012, o Chapecozinho sofreu percalços administrativos e jurídicos que o atrasaram, entre eles as reavaliações do Tribunal de Contas da União (TCU) e os recursos protelatórios das empreiteiras que perderam as concorrências licitatórias.

“O prazo venceu em dezembro de 2018, mas viemos a Brasília nos certificar de que o projeto segue vigente e solicitar que os valores sejam mesmos destinados a Santa Catarina”, disse a vice-governadora Daniela. “O Governo do Estado permanecerá atento para viabilizar este importante projeto para o Oeste”.

Para a diretora-presidente da Casan a notícia traz otimismo. “O empenho de R$ 10 milhões e o fato de Casan ter ultrapassado todas as etapas condicionantes colocam o Chapecozinho entre as prioridades do Governo Federal, o que nos leva a acreditar que em breve poderemos iniciar a maior obra de sistema de abastecimento de água de Santa Catarina”.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Relatório da reforma administrativa é aprovado nas comissões da Alesc
São Miguel do Oeste pode ter um Colégio Cívico-Militar
Câmara de Chapecó vota nesta terça redução do número de vereadores
Mordomias de ex-presidentes custam caro ao contribuinte
Governo do Estado discute investimentos na educação
Relatório final da reforma administrativa será votado nesta terça-feira
Projeto de Lei obriga prestadoras de TV por assinatura a oferecer canais avulsos
Élio Cella diz que PR terá candidato a prefeito de Chapecó
Governo anuncia concurso com 600 novas vagas para agentes penitenciários
Aprovada autorização para exploração do terminal rodoviário