Governo federal investe R$ 1 bilhão em respiradores no combate da covid-19

Atualmente, o Brasil possui cerca de 65 mil unidades do aparelho

- Publicidade -
 

O Ministério da Saúde comprou 15 mil respiradores mecânicos, no valor de US$ 13 mil cada, com investimento de R$ 1 bilhão. Após a assinatura do contrato, no fim de março, a empresa tem até 30 dias para entregar os equipamentos no Brasil.

Os ventiladores ajudam pacientes que não conseguem respirar sozinhos e seu uso é indicado nos casos graves do novo coronavírus, que apresentam dificuldades respiratórias. O Ministério da Saúde também tem mantido diálogo com produtores brasileiros de respiradores para garantir a oferta no País.

Nos casos graves, a covid-19 pode provocar pneumonia, produzindo um processo inflamatório que atinge os pulmões, fazendo com que os pacientes percam a capacidade respiratória e, portanto, necessitando de suporte ventilatório. Assim, os respiradores, ou ventiladores, são fundamentais para tratar casos graves e gravíssimos da doença.

Normalmente, esses equipamentos estão disponíveis apenas em leitos de unidades de terapia intensiva (UTI). Atualmente, o Brasil possui cerca de 65 mil respiradores, sendo que pouco mais de 46 mil estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS).

O Ministério da Saúde está adquirindo ainda leitos de UTI volantes, que podem ser instalados rapidamente na rede pública de saúde para enfrentamento da emergência do vírus sempre que houver necessidade. Nestes leitos, estão incluídos mais respiradores para ajudar na recuperação de pacientes.

FONTE: Agência Saúde

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Operação contra fraude na compra de respiradores prende quatro pessoas
Argentina prorroga quarentena obrigatória até 28 de junho
6.720 catarinenses estão recuperados do coronavírus
Hospital de Xanxerê receberá mais 10 respiradores entregues pela WEG
Pesquisa sobre avanço do coronavírus em Chapecó vai até sábado (6)
Chapecó chega a 1.129 casos de coronavírus
Ansiedade: como lidar com ela no cenário em que vivemos?
Santa Catarina confirma 10.532 casos e 156 mortes por covid-19
Hospital de Xanxerê está com 90% da UTI ocupada
Frigoríficos começam a se adequar à proteção de indígenas no Oeste