Higiene das mãos evita transmissão de doenças

Higiene das mãos com água e sabonete, ou com compostos alcoólicos, é a maneira mais barata e mais simples de se prevenir infecções

Desde 1846, segundo estudos, é sabido e comprovado que os germes que ocasionam as Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (Iras) são transmitidos de paciente a paciente por meio das mãos da equipe de assistência. Desta forma, a higiene das mãos com água e sabonete, ou com compostos alcoólicos, é a maneira mais barata e mais simples de se prevenir infecções.

>> Últimas notícias <<

As mãos são colonizadas por microrganismos que ficam nas camadas da pele e que devem ser removidos com escovação adequada das mãos antes de procedimentos cirúrgicos. Para facilitar esse processo, o Hospital Unimed Chapecó dispõe, em seu Centro Cirúrgico, da chamada escova impregnada de digliconato de clorexidina, uma importante alternativa na remoção destes microrganismos.

“Com a técnica correta de escovação das mãos e a utilização da escova impregnada com digliconato de clorexidina, os riscos de infecção diminuem e o processo para realização de procedimento torna-se seguro” explica o enfermeiro coordenador do Centro Cirúrgico, Luciano Coltro. 

Além da remoção dos microrganismos, a esponja tem como finalidade a remoção de sujidades, suor, oleosidade e células descamativas, interrompendo a transmissão de infecções veiculadas ao contato. A duração da escovação adequada das mãos é de cinco minutos.

Historicamente, a instituição da higiene das mãos antes dos procedimentos cirúrgicos é um marco na história da Medicina e contribuiu de forma relevante para a redução da mortalidade hospitalar. 

De acordo com o coordenador médico do Centro Cirúrgico do Hospital Unimed Chapecó, Dr. Rodrigo Armani, parece simples, mas a técnica adequada de escovação das mãos pela equipe cirúrgica antes dos procedimentos foi desenvolvida e é atualizada com base em grandes e sérios estudos científicos. 

“O Hospital Unimed Chapecó é totalmente comprometido com a segurança dos pacientes e, como hospital acreditado, treina e capacita sua equipe para a adoção das melhores práticas e protocolos”, salienta Dr. Armani.

Compromisso com a prevenção

O dia 15 de maio marca, oficialmente, o Dia Mundial de Prevenção e Controle das Iras. Somente no Brasil, cerca de 100 mil pessoas morrem ao ano por causa dessas infecções. Além do consumo inadequado de antibióticos, outro fator que pode agravar infecções é a falta de controle por parte dos hospitais. 

Por outro lado, segundo a médica infectologista, coordenadora médica do Serviço de Controle de Iras e Diretora Técnica do Hospital Unimed Chapecó, Dra. Carolina Ponzi, é preciso deixar claro que não existe nenhum hospital com taxa zero de Iras, pois tais infecções estão relacionadas a diversos fatores e desses, alguns fogem ao controle, como aqueles ligados ao paciente em si: problemas crônicos de saúde, gravidade de doenças, idade, entre outros.

Outro fator que auxilia no combate às Iras é a higiene adequada do ambiente. Além disso, pacientes que têm doenças infectocontagiosas ou aqueles que estão infectados ou colonizados por bactérias multirresistentes (superbactérias) devem permanecer em isolamento enquanto estiverem internados a fim de evitar a transmissão para outros doentes. 

“O investimento em recursos humanos e em tecnologia também é fundamental para que se possa fazer um trabalho seguro e de qualidade no que diz respeito à prevenção de Iras”, salienta Dra. Carolina.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Lavar cortinas, tapetes, almofadas e capas de sofá evita problemas de saúde
10 mitos e verdades sobre câncer
10 dicas de limpeza para evitar doenças respiratórias no outono
Como aproveitar o Comfort food sem prejudicar sua saúde
Saiba quais vacinas devem ser tomadas em cada fase da vida
Cuidados diários previnem dores nas costas
Higiene das mãos evita transmissão de doenças
Chapecó atinge 65% de cobertura vacinal contra a gripe
Cinco dicas para prevenir o Esgotamento Profissional
Com moderação, beber cerveja pode ter seus benefícios, veja lista