Jovens internados no Case são inseridos no mercado de trabalho em Chapecó

Vagas disponibilizadas pela Prefeitura de Chapecó e a AngelLira foram destinadas a seis jovens que cumprem medida socioeducativa

- Publicidade -
 

Seis jovens com idade entre 16 e 19 anos que cumprindo medida socioeducativa no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Chapecó foram inseridos no mercado de trabalho nos últimos dias. 

>> Últimas notícias <<

Eles participaram de um curso do Programa de Iniciação ao Trabalho ministrado dentro da unidade, realizado em parceria com o Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) e a Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa (SAP) de Santa Catarina.

Ao todo, 11 jovens participaram do curso, que teve duração de dois meses. Os que ainda não foram encaminhados para o mercado de trabalho aguardam uma oportunidade. Os internos que participaram do curso foram escolhidos por critérios como bom comportamento, tempo de internação e grau de escolaridade.

Cinco jovens irão trabalhar na Prefeitura de Chapecó, como estagiários, e um na AngelLira, como menor aprendiz. Dois deles começaram a trabalhar no dia 17 de junho, três no dia 2 de julho e um deve começar a trabalhar no dia 16 de julho. 

A coordenadora pedagógica do Case/Casep, Cleide Cerezolli, acredita que essa seja uma grande oportunidade para os jovens. “É um momento muito especial para a unidade e para os adolescentes que cumprem medida socioeducativa.  Acreditamos que esse projeto nos trouxe quebra de paradigmas tanto para os adolescentes e servidores quanto para a sociedade como um todo”, comenta. 

Formatura

A formatura dos 11 jovens que participaram do Programa de Iniciação ao Trabalho ocorreu na manhã desta quarta-feira (10) no Case. A cerimônia contou com a participação de autoridades e empresários da região. 

Sobre o sistema socioeducativo

Em Chapecó, existem quatro centros de atendimento para adolescentes infratores: o Centro de Atendimento Socioeducativo (Case), o Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep), o Centro de Internação Feminina (CIF) e a Casa de Semiliberdade. Os espaços atendem jovens com idade entre 12 e 21 anos, que cumprem o artigo 121 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).  

A principal diferença entre o Case e o Casep é que o Casep tem caráter temporário, onde o jovem pode ficar por no máximo 45 dias. Passados os 45 dias, o adolescente é absolvido ou sentenciado a cumprir pena de até três anos no Case ou na Casa de Semiliberdade. Enquanto o Case e o Casep recebe meninos, o CIF recebe meninas. 


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Prêmio da mega sena acumula e pode pagar R$ 21,5 milhões
Caixa aberta no sábado para retirada do FGTS
ACIC faz mudanças no cerimonial do Empresário do Ano de Chapecó
Receita Federal envia cartas a cerca de 330 mil contribuintes
Santa Catarina amplia as exportações de carne suína para a China
Palestra debaterá superendividamento e financeirização do consumo em Chapecó
Limite para compras em free shops e também no Paraguai vai aumentar
BRF abre inscrições para programa de trainee 2020
88% dos MEIs criados há dois anos continuam ativos
Startup de Chapecó é selecionada para participar de reality show