Julgamento de Pedro Fávero é realizado em Chapecó

Sessão do Tribunal do Júri começou às 8h desta sexta-feira (29). Ele é acusado do assassinato da esposa, Fabiana Fávero, crime cometido em julho de 2017

- Publicidade -
 

A 1ª Vara Criminal de Chapecó iniciou, na manhã desta sexta-feira (29), a sessão do Tribunal do Júri para o julgamento de Pedro Fávero. O réu é acusado de matar a esposa, Fabiana Diavan Fávero, de 37 anos, com golpes de faca e no peito. A sessão é acompanhada por amigos e familiares da vítima.

Na primeira fase do julgamento, durante toda a manhã, dezessete testemunhas serão ouvidas pelos jurados, sendo quatro mulheres e três homens. A programação é que após ouvidas todas as testemunhas, será a vez do depoimento do réu. Na parte da tarde estão programados os debates da acusação e defesa.

Atuam na acusação a promotora Cândida Antunes Ferreira, e na assistência da acusação está o advogado Wilson Gerhard. A defesa do réu é feita pelo advogado Alexandre Santos Correia de Amorim. A sessão é presidida pelo Juiz Jeferson Vieira.

O crime

Conforme a denúncia, Fávero teria assassinado a esposa com um golpe de faca no pescoço e também no peito, depois escondido o corpo de Fabiana em um quarto oculto no apartamento onde o casal morava, no centro da cidade. O crime foi no dia 4 de julho, mas só foi descoberto no dia seguinte, por volta das 12h, quando familiares de Fabiana foram até o local.

Após matar a esposa, Fávero pegou o carro de um cliente e fugiu. Durante o percurso, se envolveu em um acidente já no estado do Paraná onde abandonou o veículo. Ele foi até a casa de amigos no Paraná em busca de abrigo, mas após 30 horas de negociação com a polícia se entregou às autoridades e está preso desde então.

Família pede justiça

Nesta semana, a família de Fabiana falou após dois anos de silêncio e saudade. A irmã, Ana Paula Diavan Pereira comenta que a família acredita que ela tenha sido morta porque queria se separar do marido. Várias pessoas que conheceram a Fabi deram depoimento à Justiça confirmando que ouviram ela falar muitas vezes que queria se separar, porém ela tinha medo que ele a matasse caso fizesse isso". Mesmo com medo, nos últimos meses, Fabiana estava disposta a se separar”.


Outra alegação do réu, que é contestada pela família, é de que a vítima era agressiva, beber e que no dia do crime ela teria tentado agredi-lo. “A perícia, entretanto, não encontrou nenhum vestígio de álcool ou drogas no organismo dela. Também apontou que ele a agrediu no quarto do casal, depois, levou-a para o local onde guardava suas armas e só então, sem ela esboçar qualquer tipo de defesa, golpeou-a com a faca no pescoço e no peito”, disse a irmã.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Após bater e ameaçar esposa de morte, homem é preso pela PM em Chapecó
Esperança para mudar o futuro
Pedro Fávero é condenado a 28 anos de prisão
Julgamento de Pedro Fávero é realizado em Chapecó
Uma prisão a cada três dias em Chapecó
Para curar, é preciso falar: conheça a rede de acolhimento para mulheres vítimas de violência em Chapecó
Casal briga e mulher se defende com um pedaço de ferro em Chapecó