Laudo não detecta coronavírus em menino que morreu em Dionísio Cerqueira

Prefeitura da cidade divulgou a informação nesta segunda-feira (25). Em boletim do Governo de SC, morte segue contabilizada

- Publicidade -
 

A Prefeitura de Dionísio Cerqueira divulgou, na manhã desta segunda-feira (25), que um laudo do Laboratório Central (Lacen) não detectou a presença do coronavírus em amostra coletada em um jovem de 13 anos, que morreu na última sexta-feira (22) em Dionísio Cerqueira. O município não tem casos confirmados da doença e a notícia da morte do menino, após realização de teste rápido, foi divulgada em boletim do Governo do Estado no sábado (14).


O secretário municipal de Saúde, Deniz da Rocha, explicou que em função da morte do menino ter sido fulminante e sem motivo aparente enquanto ele brincava com amigos – e diante da pandemia de Coronavírus - o Instituto Médico Legal (IML) coletou amostra para fazer o teste rápido e também para o de amostra biológica. O teste rápido apontou positivo, por isso a morte teria sido incluída nas estatísticas do Governo do Estado.


Rocha explica que a administração municipal foi pega de surpresa com a notícia, já que aguardava o resultado do teste do Lacen, que é mais eficiente e assertivo do que o Teste Rápido. Por isso, no sábado (23), divulgou uma nota falando que aguardavam o Lacen.


“Apesar disso, nós tomamos todas as medidas de orientação e testagem nos familiares próximos ao menino e todos testaram negativo para a doença”, explicou.

 

Exame do Lacen


Segundo o secretário, na manhã desta segunda-feira (25), o município recebeu o resultado do exame feito pelo Lacen que apontou que o resultado foi Não Detectável para o vírus. “Eu tinha convicção que não era coronavírus. Desde a primeira escuta com a família, buscamos o histórico de saúde do menino, ele não tinha histórico de doença, praticava atividades e não tinha sequer uma coriza como sintoma, ou qualquer outro que levasse a pensar no corona”, disse.


Ele lembrou que a cidade não tem casos confirmados da doença. “Isso (o resultado negativo) nos dá tranquilidade de que o estamos fazendo nos últimos meses tem eficácia. Seria catastrófico termos logo o primeiro caso com morte, seria terrível”, comentou.

 

SC mantém morte contabilizada

Apesar do laudo divulgado pela Prefeitura de Dionísio Cerqueira, o último relatório divulgado pelo Governo de Santa Catarina ainda mantinha o registro de morte na cidade do Extremo Oeste catarinense.


Relembre

O jovem sofreu uma parada cardiorrespiratória enquanto realizava atividade física com amigos. Foi encaminhado ao hospital mais próximo, no município de Guarujá do Sul, porém na chegada já foi constatado a morte.

Em nota divulgada no domingo (24), o Governo do Estado esclareceu que para determinar a causa do óbito, o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de São Miguel do Oeste. Durante a autópsia, foram encontrados sinais sugestivos de que a causa do óbito pudesse ter sido a infecção pelo novo coronavírus Sars-CoV-2.

O Estado ainda informou que os testes para detecção do SARS-CoV-2, sejam por biologia molecular ou por técnicas imunológicas, necessitam de adequada interpretação, pois há períodos corretos para sua coleta em relação à exposição, fato que influencia diretamente no resultado obtido nos mesmos.

“Desta forma, de acordo com as Notas Técnicas vigentes e com as normativas do Ministério da Saúde (MS), os achados sugestivos durante a autopsia e o teste imunológico positivo fazem com que o Governo do Estado de Santa Catarina classifique o caso como óbito confirmado pela COVID-19”, informou a nota do domingo (24)

Casos em SC

Em boletim divulgado no fim da tarde desta segunda-feira (25), o Secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, Há 6.875 casos confirmados de Covid-19, sendo que 4.074 se recuperaram e 2.692 estão em acompanhamento. O coronavírus já causou 109 óbitos no estado desde o início da pandemia. Com isso, a taxa de letalidade é de 1,59%, uma das menores do país.

Os óbitos mais recentes são de quatro homens, moradores de Chapecó (37 anos), Itaiópolis (66), Xaxim (85) e Criciúma (72). Apenas este último não tinha registro de comorbidades, mas fazia parte de grupo de risco por ser idoso.

Há 191 municípios com pelo menos um caso confirmado, dois a mais que no dia anterior. As cidades de Lajeado Grande e Salto Veloso foram incluídas na lista. No topo está Chapecó, que contabiliza 735 casos. Em seguida, estão Florianópolis (628), Concórdia (503), Blumenau (501), Joinville (388), Criciúma (354), Balneário Camboriú (287), Itajaí (281), Navegantes (216) e São José (119).

A taxa de ocupação dos leitos de UTI pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Santa Catarina é de 61,7%. Isso significa que, dos 1.210 leitos existentes no estado, 464 estão disponíveis e 746 estão ocupados, sendo 111 por pacientes com confirmação ou suspeita de infecção por coronavírus.

Mortes no Oeste

Chapecó – 3; Concórdia – 7; Dionísio Cerqueira – 1; Ponte Serrada – 1; Xaxim - 2




DEIXE SEU COMENTÁRIO

Saiba como está a situação do coronavírus por bairro em Chapecó
Chapecó tem 3.148 casos confirmados de coronavírus
SC confirma 38.408 casos e 447 mortes por coronavírus
Sobe para 367 o número de casos ativos de coronavírus em Chapecó
Estado confirma 36.810 casos e 432 mortes por Covid-19
BRF doa álcool gel, sabonete líquido e máscaras para o HRO de Chapecó
Presidente Bolsonaro testa positivo para covid-19
Chapecó passa dos 3 mil casos de coronavírus
Região Oeste tem quase quatro vezes mais casos de covid-19 do que o estimado
Chapecó e Joinville são as cidades com maior número de casos