Lembrança e homenagens eternizadas no monumento Arcanjo em Chapecó

Espaço instalado em frente ao 2º BPM homenageia os policiais militares mortos em serviço. Emoção e lágrimas marcaram o ato na manhã desta terça-feira (21)

As asas dos pequenos arcanjos entregues às famílias dos oito policiais homenageados nesta terça-feira (21), traziam a emoção, a lembrança e a danada da saudade que nunca saiu dos corações.


Nos olhos de muitos – sejam familiares, sejam amigos e os irmãos de farda – as lágrimas insistiram em rolar durante a cerimônia que marcou a inauguração do Átrio Arcanjo, instalado em frente ao 2º Batalhão de Polícia Militar de Chapecó.


A dona Therezinha Leite, mãe do sargento Daniel Leite, morto em um acidente de trânsito na madrugada de 23 de outubro de 2016 acompanhou, emocionada, o ato.


Ela, juntamente com familiares dos outros sete homenageados, colaram junto à obra de arte, uma placa com o nome dos policiais que morreram em serviço, para eternizar a lembrança de todos eles. Depois, cada uma das famílias recebeu uma pequena estátua, igual ao Arcanjo erguido em frente ao batalhão em um momento de bastante emoção.


“Estou feliz por estar aqui hoje. Saber que ele vai ser lembrado eternamente na história de Chapecó. Para mim é motivo de muita alegria”, disse emocionada. A homenagem física, reflete o sentimento diário. “Porque na nossa memória e no coração ele estará para sempre”, diz.


O comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar de Chapecó, Ricardo Alves da Silva, também falou sobre a importância de homenagear aqueles que deram suas vidas para garantir a segurança da sociedade.


“É uma honra grande, sentido de dever cumprido enquanto líder de um batalhão tão significativo para SC, podermos homenagear aqueles policiais que deixaram nosso seio, nosso lar, nossa profissão de forma tão precoce”, disse.


Para ele, a memória destas pessoas não pode ser esquecida. “Dessa foram estamos os eternizando nesse espaço público onde qualquer um poderá vir e visitar, refletir sobre o que é violência urbana e o que é o policial militar, que sai de sua casa, abraça seu filho, sua esposa, mas não retorna ao seu lar. Isso nos dá uma dor muito grande e temos que homenagear”.


O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, também falou durante o ato e disse que esse espaço é uma obra de gratidão. “O nosso compromisso de devolvermos para o universo, todo o amor que recebemos em 2016”, disse, lembrando do acidente com o avião da Chapecoense, mas também de gratidão aos policiais homenageados, pelo empenho e desejo de deixar sua contribuição para uma sociedade melhor.

 

 Dona Therezinha Leite, mãe do sargento Daniel Leite, acompanhou o ato. Foto: Bia Piva/Diário do Iguaçu

 

 

Cápsula do tempo

 

Lembrar e homenagear quem passou por essa vida, mas também pensar e planejar o que queremos para o futuro. Que cidade, que desejos temos para os próximos 20 anos. Esse é o propósito da cápsula do tempo, que também foi inaugurada na cerimônia desta terça.


O comandante do batalhão, Ricardo Alves da Silva, deixou sua carta com objetivos e desejos para os próximos 20 anos. A carta dele foi acompanhada pelas cartinhas de dezenas de estudantes do Proerd. Os alunos da 5ª série escreveram sobre o que esperam para as duas próximas décadas.


As mensagens poderão ser deixadas na cápsula até o dia 31 de dezembro de 2019, e serão lidas somente no ano de 2040, onde será possível comparar a expectativa da população às realizações concretizadas em Chapecó nesse período.

 

Estudantes que participam do Proerd depositaram cartinhas com desejos para os próximos 20 anos. Foto: Bia Piva/Diário do Iguaçu

 

Em continência aos heróis

 

A passagem da soldado Caroline Pletsch, dos soldados José Seabra, Claudir SIlverio Schmidt, Gerson da Silva, Francisco Adroes Soster, Marcos Alexandre Almeida Bueno, dos Sargentos Daniel Leite, e Claudecir Barrionuevo ficará eternizada em frente ao batalhão, em um espaço onde a comunidade poderá usar para lembrar daqueles que deram a vida pela profissão, também como um espaço de descanso e lazer.


O átrio foi desenvolvido pelo cabo da Polícia Militar, Alex Hestefan Albano. “Essa homenagem é uma forma de deixá-los representados eternamente”, disse. Sobre o sentimento de ver uma obra desenvolvida por ele eternizando a vida dos companheiros, destacou que é “um sentimento de orgulho. Fui apenas uma ferramenta, parecia que ela (a obra) só estava esperando a hora para existir”, disse.


Mais do que criar uma imagem, Albano conta de outro grande desafio que enfrentou para o trabalho. “Como eu poderia levar essa mensagem, buscando uma forma de passar esse sentimento, mas com a leveza de uma lembrança boa”, disse.


O monumento tem 4,5 metros de altura e para a estrutura foram usados vergalhões de aço, machê para a modelagem e fibra de vidro. Para o acabamento foi usada massa poliéster. A parte debaixo e as asas são de inox.

 

Obra feita a várias mãos

 

Além das famílias e amigos dos homenageados, o Átrio instalado em frente ao batalhão contou com o apoio das empresas Nostra Casa, que já construiu e revitalizou vários locais públicos em Chapecó, bem como a empresa Rotesma e Multiponto instalações elétricas e a Sociedade Amigos de Chapecó (Sach).


“Cabe salientar que o espaço foi revitalizado e todo o custo foi financiado pelas empresas patrocinadoras, um valor aproximado de R$ 65 mil reais”, afirmou o Coronel Ricardo. 



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Motorista usa refrigerante e energético para apagar fogo de caminhão em Concórdia
Palestra gratuita em Chapecó foca no empreendedorismo de sucesso
IFSC oferece 160 vagas para cursos técnicos gratuitos em Chapecó
Carro fica destruído após capotamento em Pinhalzinho
Capotamento deixa cinco pessoas feridas em Arvoredo
Mulher cai de motocicleta em ribanceira em Itapiranga
Projeto Plantão 4 patas já atendeu mais de seis mil pacientes
Presos terão audiência por videoconferência a partir desta segunda-feira (17) em Chapecó
Homem morre em grave acidente em Campo Erê
Casa é destruída por incêndio no Bairro Efapi