Lesões e covid-19 atrapalham a Chapecoense no início da Série B do futebol brasileiro

Técnico Umberto Louzer enfrenta problemas para armar a equipe

- Publicidade -
 

Lesões e o novo coronavírus provocaram ausências importantes para a Chapecoense na primeira rodada da Série B do futebol brasileiro. Pelo menos seis jogadores em nível de titularidade desfalcaram o clube do Oeste catarinense na estreia em sua principal competição na temporada. Apesar dos problemas, o time verde-branco somou um ponto diante do Oeste, no último domingo (9), e, na visão do técnico Umberto Louzer, poderia ter vencido.

Titular desde antes da pandemia, o volante Anderson Leite não viajou ao Estado de São Paulo. Um estiramento na coxa o tirou do jogo em Barueri (SP). Um problema na panturrilha também custou a presença do jovem volante Guedes na partida do fim de semana. Menos mal que Willian Oliveira se recuperou da covid-19 e pôde assumir a vaga de “guardião” dos zagueiros.

O meio de campo do Verdão também sente a baixa de Alan Santos. Uma das principais contratações da agremiação em 2020, o volante de 29 anos, ex-Santos, Coritiba e Botafogo, fez apenas 45 minutos desde que chegou. Machucou o joelho logo na estreia e se recuperou durante a período de suspensão dos campeonatos. Depois, ruptura total do tendão de Aquiles o levou novamente ao departamento médico. Está na fisioterapia.

Quem deve retornar aos treinos em breve é o também volante Moisés Ribeiro. Ele não joga desde fevereiro de 2018. Foi punido pelo tribunal da Conmebol com dois anos de suspensão por doping na Copa Libertadores da América. Em janeiro, quando voltou a treinar com o grupo, ele rompeu ligamentos do joelho e passou por cirurgia. Já foi liberado para a transição.

O atacante Fernadinho se destacou pelo Joinville na Série A do Catarinense e foi contratado por empréstimo junto ao Bahia. No clube, acreditava-se que ele “agarraria” uma posição no ataque, mas uma grave lesão no joelho, que precisou ser operado, colocou-o de molho até o fim deste ano.

Do grupo principal, ainda se encontram no “estaleiro” o goleiro Vagner – fora dos gramados desde abril do ano passado –, os zagueiros Hiago e Felipe Santana e o volante Tharlis. O próximo que corre o risco de entrar no departamento médico é Denner. O meia sentiu fortes dores na coxa e precisou ser substituído ainda no primeiro tempo do empate com o Oeste por 0 a 0.

Coronavírus

O meia Roberto e os atacantes Anselmo Ramon e Régis testaram positivo para a covid-19 em bateria de exames que antecedeu o duelo de domingo pela Série B e acabaram afastados no dia do confronto. Nesta segunda-feira (10), porém, a Chape informou que a CBF autorizou o trio, que já havia feito a quarentena, a atuar no Brasileiro.

Segundo a entidade, os três apresentam imunidade para o vírus e não precisam mais realizar testes antes de cada rodada. Também por conta do novo coronavírus, o meia Vini Locatelli e o atacante Rone não acompanharam a delegação. Vini já pôde retornar aos treinos nesta segunda.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Time feminino da Chapecoense retoma as atividades de olho no Brasileiro da Série A2
Bruno Silva e Evandro entram no BID e estão regularizados para reforçar a Chape
Chape sem Alan Ruschel e Denner contra o Náutico. Thiago Ribeiro é relacionado
Zagueiros da Chapecoense apresentam a nova camisa número 3 para celebrar título
Chapecoense volta a treinar após conquista do Estadual e apresenta atacante Felipe Garcia
Em 3 anos, Louzer vence 2° estadual da carreira. Primeiro no Guarani, agora na Chape
Para soltar grito de 'é campeão'. Chape chega com festa após resgatar hegemonia em SC
Jogadores da Chape dedicam conquista a massagista Douglas Mendes, que morreu em junho
Título premia recuperação da Chapecoense no Estadual
Campeã estadual, Chape desembarca em Chapecó na manhã desta segunda-feira