Marcio Sander não descarta concorrer a prefeito de Chapecó

Vereador de Chapecó licenciado diz que tomou a decisão em participar da eleição majoritária em 2020

- Publicidade -
 

Bruno Pace Dori
politica@diariodoiguacu.com.br


Eleito seis vezes vereador, ocupou a presidência da Câmara de Chapecó por quatro vezes, e atualmente à frente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Marcio Sander (PL) diz ter tomado a decisão pessoal de participar da eleição majoritária do próximo ano.

“Sou pré-candidato a prefeito de Chapecó. Nunca concorri à majoritária, chegou a hora”, diz ele.

Nascido em Chapecó, Sander acredita que pode seguir contribuindo com a sua cidade natal, ainda mais pela experiência acumulada na vida pública.

Já foi secretário de Desenvolvimento Urbano e Planejamento e pela segunda vez está como secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, além de ter concorrido a deputado estadual em 2010 e em 2014.

Convites

Sander também presidiu a Comissão Especial para analisar a revisão do Plano Diretor de Chapecó, em 2014. “Pela minha experiência no Executivo e Legislativo, penso que posso ajudar ainda mais Chapecó”.

O vereador licenciado acrescenta que já fez “gestos” de abrir mão de candidaturas em outras oportunidades. “Espero agora que os outros retribuíam esses gestos”.

>> Últimas notícias

Filiado ao PL (que se chamava PR até o mês passado) desde 2005, Sander iniciou sua vida política no PP. Mesmo satisfeito, diz ter recebido convites de três partidos, já pensando na possibilidade de concorrer a prefeito.

“Por enquanto não vou tomar uma decisão sobre mudança de partido. Precisamos esperar o que vai acontecer até abrir a janela, em março”.

Números

No trabalho na Secretaria, Sander desta o aumento no número de Microempreendedores Individuais (MEIs) que formalizaram suas atividades. Segundo ele, o papel do município é o de ser um animador do processo, incentivando e dando condições.

“A sala do empreendedor passou de uma salinha pequena para um espaço amplo no Centro de Eventos”, observa.

A atividade formalizada garante a possibilidade de emitir nota fiscal da prestação de serviços, aumentando o leque de atuação, recolhendo assim o INSS para poder se aposentar no futuro, e pagando uma taxa mínima de contribuição ao município.

Conforme o secretário, em 2016 eram 5.304 MEIs em Chapecó e em 2019, até o mês de maio, esse número ampliou para 8.677.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Alesc aprova projetos que atende pedidos de policiais e bombeiros militares
Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Campo Erê é condenado por improbidade administrativa
Comissão de Segurança aprova projetos de interesse da PM e Corpo de Bombeiros
PSD promove jantar de mobilização em Chapecó
PDT realiza evento regional de planejamento
Prefeito propõe a extinção de cargos comissionados
Saiba como transferir o seu título de eleitor
Bolsonaro recebe demandas para Rota do Milho e melhoria das BRs de SC
Celesc segue proibida de ligar luz sem habite-se
Deputado Jair Miotto destaca ações na Alesc