Medidas importantes para desenvolver hábitos saudáveis

Segunda reportagem da série Novembro Azul mostra que o infarto e AVC são as principais causas de morte em homens com mais de 50 anos

- Publicidade -
 

Carolina Dias
carol@diariodoiguacu.com.br

Um conjunto de ações com foco em promover a saúde do homem com a realização de ações que previnam o desenvolvimento de doenças graves. Esse é o objetivo da saúde integral, durante o mês de novembro, que propõe medidas educativas para desenvolvimento de hábitos de vida saudáveis, como boa alimentação, atividade física regular, combate ao tabagismo e o controle de doenças crônicas.

Os exames periódicos são essenciais para manter um cronograma de prevenção de doenças. Segundo o médico Urologista, Paulo Caldas, a rotina de consulta e realização de exames, em geral é individualizada de acordo com o histórico de saúde e fatores de risco de cada paciente. “Exames como hemograma, glicemia, colesterol, entre outros, são solicitados, de acordo com a avaliação médica”, afirma.

 

Números que não deixam mentir, mostram que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres. Consequência disso é que eles também vivem menos. Elas vivem mais do que eles em quase todas as partes do mundo – e tem sido assim nos últimos 100 anos. Os motivos são variados, mas é consenso que a procura é muito menor se comparado as mulheres.


“Creio que a resistência na realização por parte dos homens vem diminuindo, provavelmente por haver mais informação e menos preconceito que no passado. Os pacientes com mais idade tendem a ser influenciados pela esposa e filhos. Pacientes da nova geração acabam sendo educados em um novo modelo e sabem da importância. Creio que alguns não procuram o médico por preconceito, mas a maioria é por desinformação. Estes, se compreendessem a simplicidade e a importância do exame, acredito que fariam sem problemas”, explica o médico.

 

Principais causas de morte

 

Segundo Paulo Caldas, as doenças cardiovasculares, como infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC) são as principais causas de morte na faixa etária após os 50 anos. O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer que mais mata, perdendo somente para o câncer de pulmão. O médico reforça que os familiares têm um papel fundamental na conscientização. “A desmistificação e o incentivo são fundamentais. Alguns homens não têm muita noção e não vão ao médico por ignorar ou fantasiar a realidade”, explica.

 

Rastreamento

 

Não há um consenso mundial sobre idade para iniciar o rastreamento para o câncer de próstata.

Para que os homens comecem o rastreamento para o câncer de próstata, o mais aceito seria a partir dos 50 anos. “Se houver história de câncer de próstata na família ou quando o homem for afrodescendente, a partir dos 45 anos. Outra possibilidade é realizar o primeiro PSA (exame que mede o nível de uma substância produzida pela próstata) a partir dos 40-45 anos para servir como base para futuras comparações. Porém, após os 70-75 anos, para a maioria dos homens, considera-se desaconselhável o rastreamento”, explica.

Ele reforça que essa questão deve ser conversada com o Urologista, pois há aspectos muito individuais e sua indicação não se aplica a todos os homens.

 

Diferenças

 

Caldas reforça que a doença mais frequente da próstata não é o câncer, e sim, a hiperplasia benígna da próstata (HBP). São doenças diferentes. “Na HBP ocorre o crescimento da próstata. Isso pode levar ao fechamento da uretra (canal por onde sai a urina) e causar sintomas relacionados à micção, como jato urinário fraco. Já o câncer é uma doença mais silenciosa que, na maioria das vezes, não dá sintomas. Porém, a medida que cresce, pode trancar a urina também (bem menos frequente que a HBP) ou se espalhar para órgãos a distância, como ossos e fígado”, explica.

 

Sobrevida

 

A sobrevida relacionada ao câncer de próstata varia muito de acordo com a agressividade, extensão da doença e de acordo com o tratamento proposto. Há tumores tão pouco agressivos que podem ser monitorados sem qualquer tratamento e nunca evoluírem. Por outro lado, há tumores agressivos que, por vezes, demandam a necessidade de tratamentos combinados. Ainda, infelizmente, encontramos pacientes com tumores sem possibilidade de cura, mas são a minoria, em nosso meio. “Em números: há tumores com quase 100% de possibilidade de cura, como há tumores com quase 0% de chance de cura. Depende de quando for encontrado”, salienta o médico.

 

Cuidados básicos

 

Em relação à vaidade, muitos homens realmente têm essa preocupação. E isso, segundo o médico, pode ser um incentivo para que eles cuidem da saúde de maneira geral. “Penso que isso seja bom, pois o homem que cuida da aparência tem a tendência de cuidar mais da saúde. Desta forma, a beleza externa acaba sendo reflexo da saúde interna. Difícil chegar após os 50 anos com um bom físico sem que haja os cuidados básicos. Creio que isso seja o mais importante de tudo. Uma boa alimentação, atividade física regular, controle do estresse, lazer, convívio familiar, espiritualidade são fatores capazes de prevenir boa parte das doenças que levam a morte e permitem que possamos viver mais e melhor”, pontua o médico.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Aparência e saúde
Câncer de mama é coisa de homem, sim
“Nunca na minha vida imaginei que o que eu tinha era um câncer de mama”
“O importante é não deixar se abalar, ter fé, confiar e cumprir as orientações”
Oito principais dúvidas sobre o Câncer de Próstata
Ary Fiorini venceu o câncer de próstata graças aos exames preventivos, fé e apoio da família
Um olhar diferenciado para a saúde do homem
Medidas importantes para desenvolver hábitos saudáveis
Prevenção, orientação e cuidado com a saúde do homem
Diariamente 42 homens morrem de câncer de próstata no Brasil