Melhor jogador de futsal do mundo é chapecoense: Parabéns, Ferrão!

Pivô sonha agora em ganhar a Copa do Mundo com a seleção brasileira e vencer a Liga dos Campeões da Europa com o Barcelona

- Publicidade -
 

Evolução é uma palavra que define bem a carreira do jogador de futsal Carlos Vagner Gularte Filho, o Ferrão, 29 anos. Na temporada 2017/18, o chapecoense de nascimento foi escolhido o melhor pivô do Campeonato Espanhol e, em 2018/19, o melhor jogador da competição. Agora, ele ganhou o prêmio de melhor atleta do mundo. Tudo isso com a camisa do Barcelona.

Anualmente, a revista Futsal Planet realiza votação para apontar os melhores jogadores do salonismo mundial. Na última semana, foram divulgados os vencedores de 2019. Ferrão levou o título de melhor jogador do mundo com ampla vantagem. Teve 958 pontos, contra 636 do espanhol e companheiro de Barcelona, Adolfito, e 360 do brasileiro naturalizado italiano Babalu, que defende o Sporting, de Portugal.

Ferrão foi o grande nome do Barça na temporada 2018/19. Com 63 gols em 60 jogos, ele comandou o time às conquistas do Campeonato Espanhol, da Copa da Espanha e da Copa do Rey. Foi o artilheiro da liga nacional ao balançar as redes 38 vezes, ajudando a quebrar a hegemonia do Inter Movistar, que buscava o sexto título seguido. Aliás, o clube catalão não vencia esta competição desde a temporada 2012/13.

O chapecoense quer continuar crescendo no esporte. “Meus próximos objetivos em nível coletivo é vencer a Champions (Liga dos Campeões Europeus), o único título que falta para mim no Barça, e também uma Copa do Mundo com a seleção brasileira. Seria o ápice na carreira de um jogador de futsal. São os dois melhores campeonatos que se pode ganhar”, disse. O próximo Mundial de Seleções está previsto para este ano, na Lituânia, de 12 de setembro a 4 de outubro.

Filho de ex-jogador

Em quarentena em Barcelona, Ferrão se recupera de uma cirurgia no tendão, realizada em novembro, para estar em condições de jogo depois que as partidas forem retomadas. Os campeonatos estão paralisados por conta da pandemia do novo coronavírus. A Espanha é um dos países com o maior número de casos da Covid-19.

Ferrãozinho, como também é chamado, é filho do ex-atacante da Chapecoense Ferrão. Ele vestiu a camisa do Verdão nos anos de 1987, 1988 e 1990. O pivô de futsal defendeu equipes de Chapecó e região nas categorias de base. Na categoria adulto, jogou por times como Joinville, Atlântico, Cortiana e Tyumen (Rússia) até chegar ao Barcelona em 2014.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Concórdia prorroga contratos de jogadores se precavendo para a retomada do Catarinense
Disputas esportivas continuam suspensas no Estado pelo menos até 5 de julho
Fesporte consulta federações esportivas sobre propostas de retorno das atividades em SC
Clubes da Série A do Catarinense fazem 605 testes e 9 dão positivo para o novo coronavírus
Dirigente de Xanxerê assume a Federação de Automobilismo de Santa Catarina
Concórdia batiza acordos com os jogadores de 'Bolsa Covid'
Chapecó tem atletas e técnico na seleção brasileira de handebol em cadeira de rodas
Clube de Basquete Xaxim volta aos treinos após dois meses
Fesporte apresenta propostas para cumprir calendário 2020 a dirigentes do Oeste
Só três times do Catarinense de Futebol confirmaram volta aos treinos presenciais