MP investiga se deputada usou diárias para promover livro

Promotoria quer informações se Ana Caroline Campagnolo cometeu alguma irregularidade

As diárias solicitadas pela deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL) são alvo de investigação do Ministério Público de SC (MP/SC). Por meio da 27ª Promotoria de Justiça, com sede em Florianópolis, através da promotora Rosimary Machado Silva, o MP/SC quer esclarecimentos se as viagens da deputada, custeadas pela Assembleia Legislativa do Estado (Alesc), tiveram relação com seu trabalho parlamentar ou foram usadas para promover seu livro, chamado “Feminismo: Perversão e Subversão”, que foi lançado em março.

O procedimento da 27ª PJ vai primeiro avaliar documentos oficiais solicitados à Alesc e outras informações, pelo prazo de 30 dias. Se entender que há elementos que comprovem uma suposta irregularidade no uso das diárias, a promotora pode instaurar inquérito para seguir com a investigação. Dados do Portal da Transparência da Alesc informam que Campagnolo utilizou R$ 19 mil em viagens desde 1º de fevereiro, quando tomou posse. Foram R$ 6,5 mil no primeiro mês e outros R$ 11,5 mil no mês passado. Em abril foi pouco mais de R$ 1 mil.

Últimas notícias

O jornal Diário do Iguaçu entrou em contato com a assessoria da deputada Campagnolo e foi informado que ela não vai comentar o caso neste momento, uma vez que ainda não teve acesso ao processo de investigação e desconhece o procedimento do MP/SC. A assessoria apenas comunicou que a deputada participou de eventos de lançamento do livro, mas que isso ocorreu “fora do expediente de trabalho” e que ela já fez esclarecimentos a respeito do caso em suas redes sociais. Também, que a deputada está tranquila sobre o uso das diárias.

Decoro

Nesta semana, a Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert), a Associação Catarinense de Imprensa (ACI), o Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina (SJSC) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) protocolaram na Alesc uma representação por quebra de decoro parlamentar contra Campagnolo. A deputada proferiu ofensas contra jornalistas e agrediu verbalmente um profissional do jornal Notícias do Dia, do Grupo RIC, durante uma entrevista, que investigava o suposto uso indevido de diárias da Alesc.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Prefeitura de São Lourenço confirma obra de asfaltamento
Justiça Eleitoral realiza plantão de cadastramento biométrico neste sábado (25)
Marcilei protocola projeto para redução do Duodécimo
Câmara dos Deputados conclui votação de Medida Provisória
Os órgãos extintos e as Secretarias criadas pela Reforma Administrativa
Texto aprovado pela Alesc agrada o governo do Estado
Diretórios regionais e municipais também são obrigados a investir em candidaturas femininas
Três são condenados por fraude a licitações de Planalto Alegre
Mais um passo para a concessão do aeroporto de Chapecó
Reforma administrativa é aprovada por unanimidade na Alesc