“Nunca na minha vida imaginei que o que eu tinha era um câncer de mama”

Aquiles Maia, 76 anos, passou duas vezes pela situação difícil do diagnóstico e seis anos depois, segue forte e cuidando da saúde

- Publicidade -
 

Carolina Dias
carol@diariodoiguacu.com.br       

No mês em que a importância da saúde do homem ganha um reforço, histórias de superação de homens que, independente da dificuldade, deram a volta por cima e hoje levam uma vida normal, mostrando que a prevenção é a melhor forma de cuidar da saúde.

Se é difícil para uma mulher receber o diagnóstico de câncer de mama, imagina para um homem que nem tinha a ideia de que era possível e ainda passar por isso duas vezes. 

Foi o que aconteceu com Aquiles Maia, 76 anos, morador de Chapecó que há seis anos passou por uma situação que para ele, era inesperada: o diagnóstico de câncer de mama. Conversamos com ele na academia da Associação de Diabéticos e Hipertensos de Chapecó (ADHI), entidade da qual é associado e participa há quatro anos.

Ele conta que recebeu com surpresa o diagnóstico de câncer de mama. “Era do tamanho de um feijão e quando passava a mão sentia bem aquela bolinha ali. Fui no médico, fíz os exames e a notícia: era câncer de mama.  Fiquei muito assustado pensando no que ia acontecer. Fiz cirurgia e estava bem no início ”, conta.

Para passar pela fase difícil, Aquiles contou sempre com a companhia da mulher que esteve junto desde o início. Além dela, o apoio dos três filhos foram fundamentais. “Eles também ficaram surpresos, mas aconteceu e hoje estou aqui”, afirma.

Tratamento

O próximo passo foi tratar. Aquiles fez quatro sessões de quimioterapia. “Graças a Deus que foram só quatro. Coisa mais ruim do mundo. Não conseguia sentir o gosto de nada, de água, de comida. Olha, de tudo que a gente passa, o pior é a quimio”, lembra.

A volta da doença

Passou um ano desde que ele teve o primeiro diagnóstico e veio o baque: o câncer tinha voltado no mesmo lugar do primeiro. “Fiquei triste quando voltou, aí tive que fazer a radioterapia. Fiz 30 sessões”, relata. Superada essa fase, Aquiles leva uma vida normal.  “O médico deu as orientações e fiz o tratamento certo, que é o principal”.

Preocupação com a saúde

Aquiles conta que antes do câncer descobriu que era diabético. A notícia da doença também foi uma surpresa. Após emagrecer demais, consultou e médico descobriu o diabetes, que em seguida indicou o tratamento necessário e os cuidados.  “Levei um susto porque não sabia sobre a doença. Antes de consultar, como estava emagrecendo muito e eu tinha um bar e vendia chocolates, resolvi comer, aí estraguei tudo”.

Lá se vão 6 anos desde a descoberta e Aquiles leva uma vida normal, sempre de olho.  “Agora sei o que fazer para manter ela controlada. Não precisa deixar de comer, come pouquinho. A gente sabe o que tem que fazer, errar para quê?! ”, reforça.

Ele começou a frequentar a ADHI, há quatro anos e duas vezes por semana se dedica aos exercícios no local. “Faço esteira, exercícios para as pernas, os braços e me sinto bem. Os dias que eu não venho é estranho. Nos outros dias vou caminhar por cerca de uma hora”, conta.



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Aparência e saúde
Câncer de mama é coisa de homem, sim
“Nunca na minha vida imaginei que o que eu tinha era um câncer de mama”
“O importante é não deixar se abalar, ter fé, confiar e cumprir as orientações”
Oito principais dúvidas sobre o Câncer de Próstata
Ary Fiorini venceu o câncer de próstata graças aos exames preventivos, fé e apoio da família
Um olhar diferenciado para a saúde do homem
Medidas importantes para desenvolver hábitos saudáveis
Prevenção, orientação e cuidado com a saúde do homem
Diariamente 42 homens morrem de câncer de próstata no Brasil