Projeto Bibliobike roda o Oeste para despertar a paixão pelos livros

Concórdia, Itá, Chapecó, Xaxim, São Lourenço do Oeste, Pinhalzinho e Caçador estão no roteiro da bicicleta itinerante que levará mais de 250 livros de literatura

- Publicidade -
 

Se você mora no Oeste Catarinense e, de repente, ouvir o som de uma vitrola e ver uma bicicleta cheia de livros passando, cuidado: você pode ser encantado pelo poder da literatura e desenvolver o hábito de ler sem parar. 

A bicicleta, que é na verdade uma biblioteca itinerante, é a Bibliobike, projeto que vai passar por sete cidades da região. Concórdia, Itá já receberam. Agora é a vez de Chapecó, Xaxim, São Lourenço do Oeste, Pinhalzinho ou Caçador nos próximos dias.

O objetivo é encantar, levar as pessoas para lugares novos, apresentar personagens e histórias incríveis através de livros selecionados especialmente para proporcionar momentos mágicos.

É assim, com um acervo de mais de 250 livros de literatura, que a Bibliobike promove o acesso ao livro e incentiva a leitura. Além disso, o projeto proporciona momentos de contação de histórias e mediação de leitura, sempre em espaços públicos como praças e parques.

Oficinas de formação de leitores

A Bibliobike no Oeste, projeto contemplado pelo edital de cultura Elisabete Anderle, irá também ministrar oficinas de formação de leitores em parceria com instituições de cada cidade visitada. A atividade, é voltada para a formação de professores, bibliotecários e pessoas interessadas na área do Livro e Leitura, apresentando novas abordagens para instigar o público leitor.

O roteiro vai ser uma verdadeira maratona, que a idealizadora do projeto, Camila Miotto, vê com alegria e satisfação. “Levar a BiblioBike por várias cidades no oeste de Santa Catarina fortalece a responsabilidade do projeto que é de disseminar o amor pelos livros. Queremos contagiar o maior número possível de pessoas, sensibilizando-as para uma nova relação com o livro, leitura, literatura e arte”

Biblioteca acessível

Criada em 2015, a Bibliobike surgiu com o objetivo de aproximar a literatura das pessoas, levando os livros para onde o povo está. O acervo é composto, em grande parte, por livros ilustrados, com alguns títulos também em braile, para contemplar crianças com deficiência visual. Tem ainda livros de contos, crônicas e poesia. Para todos os gostos e necessidades.

O projeto leva um espaço diferente e aconchegante, com mantas e almofadas, para locais onde haja interação familiar em momentos de lazer, fazendo essa conexão entre a literatura e a família, além de fomentar novos espaços para apresentações e socializar as produções artísticas na região.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Prefeitura de Blumenau cancela Oktoberfest 2020
Chris Flores comandará “Desejos de Mãe” o novo programa do SCC/SBT
Nasa e ESA divulgam imagens do Sol obtidas pela Solar Orbiter
Unochapecó lança podcast de entrevistas
Enem e vestibular: o que não fazer na hora da redação
Cinco passos para a higienização correta de frutas, verduras e legumes
Saiba o que entra na Netflix em julho
Como descobrir mentiras por trás das máscaras
Usuários relatam bug no whatsapp que deixa todo mundo “off-line”
BRF moderniza processos no campo com aplicativo para integrados