Cuidados de saúde necessários para evitar conjuntivite e alergias oculares

Estação mais fria do ano é a propícia para o surgimento de doenças alérgicas - o que pode ser um fator de risco para transmissão do novo coronavírus, alerta a Associação Catarinense de Oftalmologia

- Publicidade -
 

O inverno é a estação mais propícia para o surgimento de alergias oculares e doenças como a conjuntivite alérgica, uma das principais causas de consultas oftalmológicas durante a estação mais fria do ano. Em 2020, o inverno coincidiu com o pico de transmissões do novo coronavírus em Santa Catarina, o que reforça a preocupação de profissionais médicos com a saúde ocular.

Um ato que pode parecer natural, como coçar os olhos quando sentimos uma irritação, se torna ainda mais perigoso em função da pandemia, pois os olhos são vetores de transmissão e contágio da Covid-19, alerta o dr. João Artur Etz Jr, presidente da Associação Catarinense de Oftalmologia. 

A conjuntivite e a sensação de inchaço nos olhos podem, inclusive, ser os primeiros sintomas da Covid-19. "Pessoas que apresentem sinais de conjuntivite, inchaço das pálpebras, olhos vermelhos e/ou lacrimejamento, devem procurar um oftalmologista. Estes pacientes devem estar atentos também a outros sintomas como febre persistente, dor de garganta, dores no corpo e falta de ar", reforça o médico oftalmologista. 

CONHEÇA AS DOENÇAS E PREVINA-SE

As alergias oculares são causadas pela proliferação de ácaros e fungos somados à poeira e poluição, agravados pela baixa umidade do ar. "Quem sofre com outras alergias respiratórias - como rinite, sinusite e dermatite - precisa ter cuidado redobrado. Medidas simples como manter os ambientes em casa arejados e limpos são eficazes para evitar o acúmulo de fungos e ácaros", recomenda o presidente da entidade. 

A conjuntivite alérgica, por sua vez, é uma inflamação da conjuntiva, membrana que recobre o olho e a superfície interna das pálpebras, que causa vermelhidão nos olhos, coceira, irritação, lacrimejamento, inchaço e aumenta a sensibilidade à luz. Ela pode ser desencadeada por alérgenos (pólen, pêlos de animais e ácaros) e é muito comum no inverno e também na primavera.

"O sintoma mais comum da conjuntivite alérgica é a coceira e a vermelhidão. O tratamento recomendado é com uso de colírios especiais contendo anti-histamínicos para controlar reações alérgicas, desde que receitados por um médico oftalmologista", diz o dr. João Artur Etz  Jr.

Para saber mais sobre doenças de visão e como prevenir, acesse neste link a cartilha Saúde dos Olhos, uma iniciativa da Associação Catarinense de Oftalmologia. 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

5 plantas medicinais que auxiliam na ansiedade e insônia
Dor lombar pode estar relacionada com encurtamento muscular
Gravidez, mães de primeira viagem e as incertezas em tempos de pandemia
Chá de hibisco proporciona vários benefícios e pode ser utilizado em receitas
Calvície feminina x calvície masculina: Quais são as diferenças?
Ministério da Saúde monitora síndrome em crianças associada à covid-19
Crescem alertas sobre necessidade de superar a covid-19 sem descuidar de outras doenças
Cuidados de saúde necessários para evitar conjuntivite e alergias oculares
Alimentação saudável garante mais saúde e aumenta a imunidade
Encontros gratuitos para ampliar educação continuada em saúde