Quatro pessoas são indiciadas por fraudar recebimento do seguro DPVAT em Nova Erechim

Polícia Civil concluiu inquérito referente a acidente em 2017, envolvendo um motociclista que se acidentou em evento de motocross e com moto não regularizada

- Publicidade -
 

A Polícia Civil de Nova Erechim indiciou quatro pessoas por fraude para o recebimento do seguro DPVat. Entre os indiciados estão um motociclista que, em 2017, se acidentou em evento de motocross, um amigo dele, um funcionário e o proprietário de um despachante.

 

Como tudo começou


De acordo com a Polícia Civil, em dezembro de 2017 um morador de Pinhalzinho, de 19 anos à época, sofreu um acidente em Nova Erechim durante um evento de motocross. Ele foi socorrido e levado ao Hospital Regional de Chapecó.


A Polícia pontuou ainda que o jovem sabia que não poderia receber o valor do seguro DPVAT por estar conduzindo moto em via particular e de veículo não regularizado, mas ao sair do hospital teria sido abordado pelo funcionário de um despachante da cidade, que teria o auxiliado na fraude.


“Eles conseguiram um terceiro, amigo do condutor acidentado, também de Pinhalzinho, que possuía uma Honda/Biz, com a documentação em dia. Esse amigo então, com o auxílio do despachante e do condutor, fez uma declaração falsa. Declarou que seu amigo estava conduzindo sua motocicleta no dia em que se acidentou”, detalhou a Polícia Civil.


Com esse documento, o motociclista fez o registro do acidente em uma delegacia da cidade de Pinhalzinho, cerca de 30 dias após o acidente, relatando que conduzia a Biz no dia do acidente, sendo encaminhado para o seguro.

 

Repasse dos valores

Ainda conforme a Polícia Civil, depois de ter recebido o seguro de R$ 5 mil, o motociclista repassou R$ 1,5 mil ao despachante da cidade de Chapecó. “Ficou evidenciado que o funcionário auxiliou desde o início da fraude até o recebimento do seu pagamento e que o proprietário do despachante sabia desde o início da fraude e também ajudou, dando “dicas” de como fazer a fraude para receber o seguro e fazendo o encaminhamento do processo”, apontou a Polícia Civil.

 

Indiciamento

Com a identificação da fraude, o inquérito, que seguiu na comarca de Nova Erechim, foi finalizado com o indiciamento do rapaz acidentado, do funcionário e do proprietário do despachante, que foram indiciados por falsidade ideológica e estelionato. O amigo que fez a declaração também foi indiciado por falsidade ideológica, COM pena prevista é de reclusão de 1 a 3 anos. A Polícia Civil informou ainda que o inquérito será encaminhado ainda nesta quinta-feira (11) para análise do Judiciário. 


Esclarecimento


Confira a nota enviada à imprensa pela Associação dos Despachantes da Região de Chapecó Santa Catarina (ADECHAP):

"Em atenção à imprensa e à sociedade, em virtude de notícias veiculadas na quinta-feira (11/07/2019) A Associação dos Despachantes da Região de Chapecó Santa Catarina (ADECHAP) vem esclarecer que: Os despachantes da região Oeste de Santa Catarina não possuem nenhuma ligação com os acontecimentos noticiados. A empresa que que está sendo acusada faz encaminhamento de Seguro DPVAT, portanto, não faz parte da classe dos despachantes.
Não compactuamos com fraudes, corrupção ou qualquer outra conduta que viole as normas do Seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre ou por sua Carga a Pessoas Transportadas ou Não). Trabalhamos de forma transparente, prezando pela ética nos negócios e pelo respeito mútuo da empresa aos seus clientes internos e externos".



DEIXE SEU COMENTÁRIO

Fiscalização apreende redes, anzóis e espinhéis no Rio Uruguai
Homem embriagado se envolve em acidente de trânsito em Xanxerê
Veículo furtado é recuperado duas horas após o crime em Chapecó
Veículo com registro de furto é abordado em Chapecó
Homem morre após ser atingido por disparos de arma de fogo no bairro Efapi
Veículo com registro de furto é recuperado no bairro Efapi
Homem é preso por estuprar vizinha de 8 anos em Chapecó
Homem com mandado de prisão em aberto é preso em Maravilha
Homem de 33 anos é preso por violência doméstica em Chapecó
Polícia prende em flagrante suspeito de vender anabolizante e remédios controlados em Chapecó