Saiba quais vacinas devem ser tomadas em cada fase da vida

Em Chapecó, as vacinas estão disponíveis nos 26 Centros de Saúde da Família que atendem das 7h30 às 11h30 e das 13h às 17h

- Publicidade -
 

A vacina é a melhor forma para proteger contra doenças graves. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) tem avançado para proporcionar melhor qualidade de vida à população com a prevenção de doenças. O Calendário Nacional contempla não apenas as crianças, mas também adolescentes, adultos, idosos e gestantes. 

>> Últimas notícias <<

Em Chapecó, as vacinas estão disponíveis nos 26 Centros de Saúde da Família que atendem das 7h30 às 11h30 e das 13h às 17h. Para receber a vacina, o cidadão deve procurar o Poste de Saúde com a Caderneta de Vacina e documentos pessoais. 

De acordo com o Ministério da Saúde, muitas doenças comuns no Brasil e no mundo deixaram de ser um problema de saúde pública por causa da vacinação. A vacina gera imunidade com os mesmos antígenos que causam a doença, mas enfraquecidos ou mortos. Assim, a vacina ensina e estimula o sistema imunológico a produzir os anticorpos que levam à imunidade. 

Segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Chapecó, Karina Giachini, a melhor forma de prevenir as doenças imunopreveníveis é por meio da vacinação. “O programa de imunização que o Brasil oferece é um dos melhores do mundo, com um dos maiores números de vacinas disponíveis gratuitamente. Muitas doenças, como a pólio e o sarampo, só foram erradicadas através da imunização. Antigamente as pessoas morriam por doenças que hoje não existem mais”, destaca. 

A coordenadora acrescenta que a pessoa vacinada também protege quem está ao seu redor. “Quando a gente vacina a população alvo, estamos criando uma proteção não apenas para quem recebeu a vacina, mas também para quem não pôde receber. Se uma pessoa não vacinada ficar doente a chance de ocorrer surtos em locais onde a população não está vacinada é muito maior”, alerta. 

Saiba quais vacinas devem ser tomadas ao longo da vida  

Vacina BCG
Previne: tuberculose; 
Indicação: a partir do nascimento até os 5 anos de idade;
Outras recomendações: pessoas de qualquer idade que convivem com portadores de hanseníase (lepra);
Esquema: dose única.

Vacina hepatite B
Previne: infecção causada pelo vírus da hepatite B;
Indicação: crianças e adultos;
Esquema: para crianças são quatro doses. A primeira delas deve ser realizada ao nascimento. Depois, nos 2, 4 e 6 meses de vida. Adolescentes, adultos e idosos não vacinados devem tomar três doses com intervalo de um mês entre primeira e a segunda e de cinco meses da segunda para a terceira.

Vacina poliomielite
Previne: poliomielite (paralisia infantil);
Indicação: para crianças menores de 5 anos;
Esquemas: aos 2, 4 e 6 meses, com reforços entre 15 e 18 meses e entre 4 e 5 anos de idade.

Vacina pentavalente
Previne: difteria, tétano, coqueluche, meningite por Hib (bactéria Haemophilus influenza e tipo b) e hepatite B;
Indicação: crianças até 7 anos de idade, mesmo as que já tiveram tétano, difteria, doença causada pelo Hib e/ou coqueluche;
Esquema: uma dose aos 2, 4 e 6 meses de idade. Reforço aos 15 meses e 4 anos com a DTP (difteria, tétano e coqueluche).

Vacinas pneumocócicas conjugadas
Previne: contra cerca de 70% das doenças graves (pneumonia, meningite, otite) em crianças;
Indicações: para crianças a partir de 2 meses a menores de 6 anos de idade; 
Esquemas: aos 2 e 4 meses de vida e reforço entre 12 e 15 meses.

Vacina febre amarela (FA)
Previne: febre amarela;
Indicação: crianças a partir de 9 meses de idade, adolescentes e adultos nas áreas de recomendação de vacinação. Também é indicada para pessoas que forem viajar para áreas de risco com obrigatoriedade de vacinação;
Esquema: dose única aos 9 meses ou para quem não recebeu a vacina. Em situações de exigência, a dose deve ser aplicada no mínimo dez dias antes da viagem.

Vacina meningocócica C conjugada
Previne: doenças causadas pelo meningococo C, incluindo meningite e meningococcemia; 
Indicação: crianças e adolescentes;
Esquema: aos 3 e 5 meses, com reforço aos 12 meses. Adolescentes devem receber dose única entre 11 e 14 anos.

Vacina rotavírus
Previne: doença diarreica causada por rotavírus;
Indicação: bebês de 2 a 4 meses;
Esquema: aos 2 e 4 meses.

Vacina tríplice viral
Previne: sarampo, caxumba e rubéola;
Indicação: crianças, adolescentes e adultos;
Esquemas: primeira dose aos 12 meses de idade e segunda dose aos 15 meses com a Tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela). Em adultos de até 29 anos devem ser feitas 2 doses. Já em adultos de 30 a 49 anos, se não vacinados anteriormente, apenas uma dose. Profissionais de saúde, independentemente da idade, devem administrar duas doses, observando intervalo mínimo de 30 dias.

Vacina varicela
Previne: varicela (catapora);
Indicação: crianças acima de 12 meses;
Esquema: uma dose de varicela, na apresentação tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela) nas crianças com 15 meses que já tomaram a primeira dose de tríplice viral e um reforço aos 4 anos.

Vacina hepatite A
Previne: hepatite A;
Indicação: a partir de 12 meses de vida;
Esquema: dose única aos 15 meses ou antes dos 2 anos de idade.

Vacina HPV
Previne: infecções persistentes e lesões pré-cancerosas causadas pelos tipos de HPV 6, 11, 16, 18. Também previne o câncer de colo do útero, da vulva, da vagina, do ânus e verrugas genitais (condiloma);
Indicação: para meninas e meninos de 9 a 13 anos de idade;
Esquemas: em meninas, duas doses com intervalo de 6 meses, idade dos 9 a 14 anos. Já em meninos, duas doses com intervalo de 6 meses, idade de 11 a 14 anos.

Vacina dupla bacteriana do tipo adulto (dT)
Previne: difteria e tétano;
Indicações: a partir dos 7 anos de idade, com reforços a cada dez anos; 
Esquema: uma a três doses, de acordo com o histórico vacinal de cada pessoa.

Vacinas para as Gestantes
Hepatite B: indicada três doses para todas as gestantes que não possuem vacinação ou Anti-HBS Não Reagente;
Dupla Adulto (Tétano e Difteria): quando última dose tiver mais de 5 anos, ou quando não há história de vacinação;
DTPa (Difteria, Tétano e Coqueluche acelular): deve ser feita uma dose a partir da 20ª semana de gestação.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

4 dicas para aliar alimentação e energia no trabalho
Plantas medicinais: principais benefícios e cuidados com o consumo
Cardiologista desvenda mitos e verdades das doenças que mais matam no mundo
Pesquisa mostra que 55% dos brasileiros evitam alimentos com trigo por causa do glúten
2,3 milhões de brasileiros têm traços de dependência de álcool, mostra pesquisa
[OPINIÃO] Internet: o inimigo está dentro de casa
Cuidados com o colesterol alto devem começar na infância, alertam pediatras
Chapecó reforça vacina contra o Sarampo
O que é Prostatite e por que incomoda tanto os homens?
Amamentação é tema de palestra em Chapecó