Secretário nacional de Defesa Civil garante apoio a SC para minimizar danos do ciclone

Neste primeiro momento o foco é a assistência humanitária a todas as famílias atingidas

- Publicidade -
 

O secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, se reuniu com representantes do governo do Estado na manhã desta sexta-feira (3), para debater o processo de apoio aos atingidos pelo ciclone extratropical, que atingiu Santa Catarina nesta semana. Alves elogiou a estrutura de Defesa Civil do Estado e garantiu que o governo Federal dará todo apoio necessário para auxiliar na reconstrução das estruturas danificadas. O encontro ocorreu no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres de Santa Catarina (Cigerd).

O governador Carlos Moisés destacou que o auxílio do governo Federal será essencial para que Santa Catarina supere mais este desafio. Segundo o chefe do Executivo estadual, a presença de representantes da União demonstra o empenho em ajudar na reconstrução dos estragos.

“Neste primeiro momento nosso foco é assistência humanitária a todas as famílias atingidas. O tempo não tem dado trégua a Santa Catarina. Enfrentamos estiagem, um tornado no Extremo Oeste e agora o ciclone. Mas temos um povo resiliente e vamos superar mais este desafio. Com o apoio da União, o Governo do Estado não vai medir esforço para fazer a sua parte nessa tarefa”, destacou o governador.

Santa Catarina decreta calamidade pública por danos causados por ciclone

Alves foi recepcionado pelo chefe da Defesa Civil estadual, João Batista Cordeiro Júnior, que lhe fez uma apresentação sobre os danos relatados até o momento. Segundo o secretário nacional, o governo do Estado tem sido eficiente no processo de assistência humanitária e conta com uma estrutura de Defesa Civil que é referência para todo o País.

“Essa reunião foi muito importante e profícua. O Estado de calamidade pública ajudará na celeridade do processo de transferência de recursos. Vamos reconhecer de forma sumária todos os decretos e também buscaremos identificar outras oportunidades de repasse por meio de outros órgãos do governo Federal”, destacou Lucas.

O secretário nacional ainda salientou que há dois tipos de repasse: os de restabelecimento e os de reconstrução. O primeiro consiste em uma ajuda para um caso mais pontual, em que a estrutura pode ser consertada sem a necessidade de um projeto. Nessa situação, o dinheiro chega de maneira mais rápida. No segundo caso, de reconstrução, a ajuda demora um pouco mais a vir, por conta da necessidade de se realizarem projetos.

Sobrevoo nas áreas afetadas

Durante o período da tarde, o chefe João Batista e o secretário Lucas farão um sobrevoo por algumas áreas atingidas pelo ciclone. Até o momento, nove mortes foram confirmadas, com duas pessoas ainda desaparecidas. O ciclone causou estragos em ao menos 152 municípios, de todas as regiões do Estado. Mais de 1,5 milhão de unidades consumidoras chegaram a ficar sem energia. Um levantamento parcial realizado pela Secretaria de Estado da Educação aponta danos em ao menos 356 escolas da rede estadual de ensino.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

“O argumento usado para o pedido de impeachment é fantasioso”, diz procurador do Estado
Audiências regionalizadas vão analisar investimentos da saúde nos municípios
Lideranças pedem emendas parlamentares para Maravilha
Arestide Fidelis desiste de recurso e se apresenta para cumprir sentença
Deputados debatem decisão do TJSC sobre paralisação do processo de impeachment
Entenda o motivo do pedido de impeachment contra o governador ter sido suspenso
Eleições municipais: votação deve ser estendida em pelo menos uma hora
Projeto da sede própria da Câmara de Chapecó fica pronto em novembro
Líderes têm cinco sessões para indicar membros da Comissão do impeachment
DEM define pré-candidatura à Prefeitura de Chapecó